Paternidade e sabedoria


Data da Postagem: 13 de Agosto de 2017

Neste domingo celebramos o Dia dos Pais e a abertura da Semana da Família. Este ano o tema central que orientará as celebrações é: “Família, uma luz para a vida em sociedade”. Nunca é demais dedicar tempo para refletir, orar, defender a célula mãe da sociedade e fazer com que sempre seja , honrada, querida e amada a instituição “Família”.

Neste núcleo de amor entre um homem e uma mulher, o que faz perseverar  até o fim,  apesar das diferenças, e viver os laços de família , é o relacionamento verdadeiro  e transparente, recomeçando sempre, vivendo sem utopias o momento presente. Não dá pra fugir da missão. Mesmo José, duvidando da jovem Maria, ouviu de Deus: “toma consigo sua esposa” (Mt 1, 24) e se torna o pai da família de Nazaré.

O papa Francisco, no encontro com as famílias disse: “Cada família precisa do pai. Hoje gostaria de partir de algumas expressões que se encontram no Livro dos Provérbios, palavras que um pai dirige ao próprio filho, e diz assim: ‘Filho meu, se o teu coração for sábio, também o meu será cheio de alegria. Exultarei dentro de mim, quando os teus lábios disserem palavras retas’ (Pv 23, 15-16). Não se poderia exprimir melhor o orgulho e a comoção de um pai que reconhece ter transmitido ao filho aquilo que realmente conta na vida, ou seja, um coração sábio. Este pai não diz: ‘Estou orgulhoso de você porque és igual a mim, porque repetes as coisas que eu digo e que eu faço’. Não, não lhe diz simplesmente qualquer coisa. Diz-lhe algo de bem mais importante, que podemos interpretar assim: ‘Serei feliz toda vez que te ver agir com sabedoria e estarei comovido toda vez que te ouvir falar com retidão. Fiz você sentir um afeto profundo e ao mesmo tempo discreto, que talvez não reconhecestes plenamente quando eras jovem e incerto. Dei a você um testemunho de rigor e de firmeza que talvez você não entendeu, quando você quis somente cumplicidade e proteção. Agora, quando vejo que você procura ser assim com os teus filhos, e com todos, me comovo. Sou feliz de ser teu pai’. É assim que diz um pai sábio, um pai maduro.

Um pai sabe bem quanto custa transmitir esta herança: quanta proximidade, quanta doçura e quanta firmeza. Porém, que consolo e recompensa se recebe quando os filhos honram esta herança! É uma alegria que redime todo cansaço, que supera toda incompreensão e cura toda ferida”.

Naquela mesma ocasião o papa Francisco recordava: A primeira necessidade, que o pai seja presença na família. Que seja próximo à mulher, para partilhar tudo, alegrias e dores, cansaços e esperanças. E que seja próximo aos filhos em seu crescimento. Dizer um pai presente não é o mesmo que dizer controlador! Porque os pais muito controladores anulam os filhos, não os deixam crescer. Os pais devem ser pacientes. Tantas vezes não há outra coisa a fazer se não esperar; rezar e esperar com paciência, doçura, magnanimidade, misericórdia. Sem a graça que vem do Pai que está nos céus, os pais perdem a coragem e abandonam o campo. Mas os filhos precisam encontrar um pai que os espera quando retornam dos seus insucessos. Farão de tudo para não admitir isso, para não deixarem ver, mas precisam; e não encontrar isso abre feridas difíceis de curar”. Depois destas palavras do nosso querido pai, Francisco, resta-nos orar pelos nossos pais, com o coração agradecido. Senhor, abençoe o meu pai, ele é e será sempre o meu pai. Amém!


Dom Anuar Battisti