O Papa, as CEBs e Comunicação


Data da Postagem: 29 de Janeiro de 2018

Na semana que passou, dois fatos marcaram nossa caminhada como Igreja, na pessoa do Papa Francisco. Em Londrina, durante o Encontro Intereclesial das Comunidades Eclesiais de Base, recebemos a mensagem do Santo Padre, que destacou a “Evangelização e a promoção da pessoa humana”. No dia 24, fomos presenteados com a mensagem do papa para o Dia Mundial das Comunicações, em que ele trata sobre as fake news (notícias falsas).

Estive em Londrina e presenciei o vigor e a força da caminhadas das CEBs. Aqui a mensagem do Papa Francisco, por meio do Cardeal Pietro Parolin, Secretário de Estado do Vaticano: “O Papa Francisco deseja transmitir aos participantes vindos de todos os cantos do Brasil a sua palavra de estímulo e bênção, que possa ajudar as CEBs a trazerem aos desafios do mundo urbano ‘um novo ardor evangelizador e uma capacidade de diálogo com o mundo que renovam a Igreja’ (Exort. ap. Evangelii gaudium, 29).

Com efeito, como vê-se pelo lema do Encontro — ‘Eu vi e ouvi o clamor do meu povo e desci para libertá-lo’ (Ex 3, 7-8) — Deus nunca é indiferente ao sofrimento do seu povo, enviando Moisés, para salvar o povo hebreu da escravidão do Egito e, na plenitude dos tempos, enviando o seu Filho Unigênito, Jesus Cristo, para nos libertar da escravidão do pecado e da morte. Essa ação redentora, que celebramos com fé na Liturgia, deve depois se manifestar numa vida pessoal onde brilhe a luz do Evangelho, isto é, numa existência inspirada no amor e na solidariedade, que é a linguagem do amor. Assim o Santo Padre, unido espiritualmente a essa Assembleia, invoca do Altíssimo a abundância dos seus dons e luzes sobre todos os presentes, de modo que, ouvindo o clamor dos pobres e famintos de Deus, de justiça e de pão, as Comunidades Eclesiais de Base possam ser, na sociedade e Nação brasileira, um instrumento de evangelização e de promoção da pessoa humana — sempre em comunhão com a realidade paroquial e com as diretrizes da Igreja local (cf. Ibidem, 29) — capaz de vir encontro aos terríveis efeitos da cultura do ‘descarte’, que leva tantos irmãos e irmãs a viverem excluídos, numa exclusão que fere ‘na própria raiz, a pertença à sociedade onde se vive, pois quem vive nas favelas, na periferia ou sem poder já não está nela, mas fora. Os excluídos não são explorados, mas resíduos, sobras’ (Ibidem,53). Como penhor destes votos e preces, que em espírito deposita aos pés de Nossa Senhora Aparecida, o Papa Francisco de todo coração, concede aos participantes, extensiva às suas famílias, comunidade de base, paróquias e dioceses, uma propiciadora Bênção Apostólica, pedindo que, por favor, não deixem de rezar por ele”.

Já na mensagem sobre as Fake News, Francisco explicou que elas são “informações infundadas, baseadas em dados inexistentes ou distorcidos, tendentes a enganar e até manipular o destinatário. A sua divulgação pode visar objetivos prefixados, influenciar opções políticas e favorecer lucros econômicos. A dificuldade em desvendar e erradicar as fake news é devida também ao facto de as pessoas interagirem muitas vezes dentro de ambientes digitais homogéneos e impermeáveis a perspectivas e opiniões divergentes. Esta lógica da desinformação tem êxito, porque, em vez de haver um confronto sadio com outras fontes de informação (que poderia colocar positivamente em discussão os preconceitos e abrir para um diálogo construtivo), corre-se o risco de se tornar atores involuntários na difusão de opiniões tendenciosas e infundadas. O drama da desinformação é o descrédito do outro, a sua representação como inimigo, chegando-se a uma demonização que pode fomentar conflitos. Deste modo, as notícias falsas revelam a presença de atitudes simultaneamente intolerantes e hipersensíveis, cujo único resultado é o risco de se dilatar a arrogância e o ódio. É a isto que leva, em última análise, a falsidade.”

Francisco é um profeta dos nossos tempos. Sabe da nossa realidade. Nestes dois casos marcantes, das CEBs e das Comunicações, essa foi uma semana com fortes mensagens do nosso Santo Padre. Que possamos estar abertos a ouvir, a ler, a compreender tudo o que ele nos ensina. Uma abençoada semana a você a sua família!


Dom Anuar Battisti