Deus nos fez livres


Data da Postagem: 13 de Junho de 2016

Há pouco tempo estive em visita a uma família e na conversar o pai disse: “O meu filho chegou da universidade dizendo que Deus não existe. Perguntei: Por quê? Ele me respondeu: Deus é uma invenção para controlar a nossa liberdade, não deixando a gente fazer o que quer”.

Diante desta resposta o pai tentou explicar as suas razões, sem muito êxito. Fiquei pensando depois sobre a experiência  deste jovem que apenas  iniciou os estudos na universidade e de repente muda  conceitos de vida, valores humanos e espirituais, simplesmente por alguns “iluminados” teóricos, ratões de bibliotecas, e colecionadores de ideologias, achando-se donos da verdade e da consciência dos outros.

Tenho a impressão que a onda de ateísmo entre jovens universitários está na falsa compreensão de liberdade e até mesmo na tentativa de ser diferentes com o propósito de mudar o mundo destruindo valores, sem uma proposta concreta de vida que valha a pena viver.

Nós somos feitos livres e para  a liberdade que Deus nos fez. “Vivam como pessoas livres, mas não usem a liberdade como desculpa para fazer o mal; vivam como servos de Deus” (1 Pe. 2, 16).

Deus nos fez livres para fazer o que queremos, e para ser quem queremos, e também para fazer as escolhas que queremos, porém essa liberdade não me dá o direito de dar asas a todos os desejos e sentimentos por mais legítimos que sejam. Deus não controla ninguém. Ele ama simplesmente, sem medida e para sempre.

“De todas as faculdades que Deus nos deu, a que mais nos assemelha a Ele é a liberdade; nenhuma outra criatura no mundo a tem. Podemos até dizer a Deus, como os anjos maus: ‘não vos servirei!’” (Jer 2, 20).

E Deus respeita. Esses anjos maus foram criados bons e belos, mas, usando mal da liberdade quiseram ser como Deus, não se aceitaram como belas criaturas apenas. É o orgulho! O pior pecado. O pecado é o abuso da liberdade, dizia Santo Agostinho.

“Deus não nos deu liberdade para fazer o mal, mas só o bem” (Prof. Dr. Felipe Aquino).

Deus não tira a liberdade, ao contrário: faz-nos livres e nos liberta das escravidões puramente humanas. Deus quer que sejamos capazes de amar e ser amados de forma livre. O que falta hoje para muitos jovens é fazer a experiência do amor de Deus, através do amor humano.

Em muitos casos os jovens nunca foram amados como deveriam.  Não somos teleguiados ou marionetes nas mãos do Criador. “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gal 5,1). “Vós fostes chamados à liberdade irmãos. Entretanto que a liberdade não sirva de pretexto para a carne, mas, pela caridade, colocai-vos a serviço uns dos outros” (Gal 5,13).

 “E Jesus dizia aos judeus que nele creram: Se permanecerdes na minha palavra, sereis meus verdadeiros discípulos; conhecereis a verdade e a verdade vos livrará. Em verdade, em verdade vos digo: todo homem que se entrega ao pecado é seu escravo. Se, portanto, o Filho vos libertar, sereis verdadeiramente livres.” (João 8, 31ss). Portanto cabe à nossa liberdade de seres humanos, as escolhas e suas consequências. Jamais seremos livres negando a existência de quem me fez à Sua imagem e semelhança. Negar a existência de Deus é negar a existência do ser humano em sua plenitude e harmonia. Deus nos fez livres, inclusive para aceitar ou não o Seu amor. Isso é vida, isso é ser humano completo. Deus te ama e quer que você tenha e viva a verdadeira liberdade. Boa semana!


Dom Anuar Battisti é Arcebispo de Maringá-PR