Papa Francisco e a Olimpíada


Data da Postagem: 08 de Agosto de 2016

O papa Francisco pede que, durante o mês de agosto, se reze “para que o esporte seja uma oportunidade de encontro fraterno entre os povos e contribua para a causa da paz no mundo”. A intenção é dirigida à Rede Mundial de Oração do papa, um movimento do Apostolado da Oração (AO). Francisco afirma que “com o esporte é possível construir a cultura do encontro por um mundo de paz”. À medida que os muros vão sendo derrubados, Francisco diz que sonha com o “esporte como a prática da dignidade humana convertida num veículo de fraternidade”.

“Treinamos juntos esta oração, pede o papa: “Que o esporte fomente o encontro fraterno entre os povos e contribua para a paz no mundo”. Que todos nestes dias façam essa oração, nos unido à intenção do papa Francisco, pois sabemos que o clamor feito em várias vozes chega mais depressa ao coração de Deus.

Desde janeiro deste ano o papa iniciou essa prática de uma intenção mensal. É preciso sentir, ver, mover o coração para ter desejo de orar, rezar sempre, dobrando os joelhos, enfrentando os desafios da humanidade que clama por paz e segurança. Hoje, na Rede Mundial de Oração do papa, mais de 30 milhões de pessoas fazem parte deste projeto em dez idiomas diferentes.

Na última quarta-feira, durante a audiência geral, o papa disse que a realização dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro deve ser uma “oportunidade para superar os momentos difíceis” no Brasil, desafiando os participantes a conquistarem “algo mais valioso” do que uma medalha. Francisco valorizou a “alegria e hospitalidade” do povo brasileiro na organização da ‘Festa do Desporto’, desejando que “esta seja uma oportunidade para superar os momentos difíceis e comprometer-se a “trabalhar em equipe” para a construção de um país mais justo e mais seguro, apostando num futuro cheio de esperança e alegria”.

“Diante de um mundo que está sedento de paz, tolerância e reconciliação, faço votos de que o espírito dos Jogos Olímpicos possa inspirar a todos, participantes e espectadores, a combater o bom combate e a terminar juntos a corrida”, sublinhou o papa. Para Francisco, mais do que alcançar uma medalha, interessa apostar na “realização de uma civilização onde reine a solidariedade, fundada no reconhecimento de que todos somos membros de uma única família humana, independentemente das diferenças de cultura, cor da pele ou religião”.

Na Jornada Mundial da Juventude o Santo Padre disse aos jovens:  “estamos aqui reunidos para nos ajudar uns aos outros, porque não queremos deixar que nos roubem o melhor de nós mesmos, não queremos permitir que nos roubem as energias, a alegria, os sonhos com falsas ilusões. Queridos amigos, pergunto-vos: Para a vossa vida quereis aquela ‘vertigem’ alienante, ou quereis sentir a força que vos faça sentir vivos, plenificados? Vertigem alienante ou força da graça? Para ser plenificados, para ter uma força renovada, há uma resposta: não é uma coisa, não é um objeto; é uma pessoa e está viva, chama-se Jesus Cristo. Jesus Cristo é aquele que sabe dar verdadeira paixão à vida, Jesus Cristo é aquele que nos leva a não nos contentarmos com pouco e a dar o melhor de nós mesmos; é Jesus Cristo que nos interpela, convida e ajuda a erguer-nos sempre que nos damos por vencidos. É Jesus Cristo que nos impele a levantar o olhar e sonhar a altitude”.

Vamos nos unir no clamor do papa nestes tempos de grandes desafios para a humanidade. Viva a Olimpíada, viva o Brasil, viva os josvens. Com esperança, que tennhamos uma abençoada semana!


Dom Anuar Battisti