Clero de Maringá participa de curso de formação permanente

14 de Fevereiro de 2019

"Clero de Maringá participa de curso de formação permanente"

Nos dias 11, 12 e 13 de fevereiro os padres da Arquidiocese de Maringá participaram do Curso de Formação Permanente dos Presbíteros promovido pela Pastoral Presbiteral. Anualmente, dois encontros são oferecidos aos sacerdotes, um em âmbito pastoral e outro para tratar da vida e do ministério dos presbíteros.

Neste encontro o assessor foi o padre Jésus Benedito dos Santos, da Arquidiocese de Pouco Alegre – MG. O tema do encontro foi Presbítero-pastor, discípulo missionário do Senhor em tempo de mudanças.

O objetivo foi trabalhar a vida e o ministério do padre diante dos atuais desafios, resgatando de modo particular, a imagem de pastor que cada padre deve transparecer no exercício de seu ministério. Ao mesmo tempo, proporcionar uma profunda reflexão sobre a identidade do presbítero, suas potencialidades e fragilidades no exercício do ministério, a fim de que cada sacerdote possa reconhecer-se e compreender-se buscando sempre mais configurar-se ao Cristo Jesus, o Bom Pastor.

Segundo padre Jésus, “muitos ministros ordenados caminham na noite escura da vida. O ministro ordenado não está imune aos problemas físicos, emocionais e espirituais, não está livre das crises existenciais, dos desgastes da vida, das turbulências do cotidiano, da angústia, da solidão, do silêncio, do fracasso, das noites do espírito, das fraquezas afetivas! Embora ele seja, muitas vezes, um herói, sente a própria fraqueza e, como qualquer outro ser humano, tem necessidade de conforto, de presença, de cuidados”.

A Pastoral Presbiteral é, portanto, o trabalho da Igreja que nasce com a missão de cuidar daqueles que cuidam de tantas pessoas, ajudando-os a descobrir sempre mais o amor e o encantamento por Jesus, a fim de que ministério seja luz entre todos.

Exatamente por isso, um dos eixos da temática foi a reflexão sobre o texto de 2Cor 4,7: “Trazemos esse tesouro em vasos de barro, para que todos reconheçam que este poder extraordinário vem de Deus e não de nós”.

Cada presbítero deve buscar o cuidado pessoal de si a fim de continuar levando a riqueza da fé e do amor de Cristo ao povo de Deus. Porém, esse cuidado, incentivado e motivado pela Pastoral Presbiteral, deve sempre e ao mesmo tempo, ser vivido em comunhão com o Bispo e o presbitério.

O isolamento, o ativismo pastoral, a perda da espiritualidade pode leva-lo à perda da identidade ministerial e, consequentemente, a perda do encanto pela própria vocação. Por isso mesmo, reconhecer os próprios limites e fragilidades é o primeiro passo para tornar-se forte e ser capaz de superar qualquer desafio que se lhe apresenta.

Pedimos a oração de todos por nosso presbitério para que cada vez mais cresçamos na união e comunhão, espiritualidade e amor por Cristo e à Igreja, a fim de que o desempenhar de nosso ministério leve todos a conhecer a Deus e a amar a Igreja cada dia mais.


Padre Neri Dione Squisati

Coordenador da Pastoral Presbiteral