Comunicado da Arquidiocese de Maringá sobre a Comunidade Colo de Deus

12 de Agosto de 2019

"Comunicado da Arquidiocese de Maringá sobre a Comunidade Colo de Deus"

A Arquidiocese de Maringá comunica que a Comunidade Colo de Deus está sendo acompanhada por dois padres, com o objetivo de conhecer os membros da comunidade, fundador, núcleo, carisma e atividades desenvolvidas pelo grupo.

O Arcebispo Metropolitano de Maringá, Dom Anuar Battisti, designou os padres Salvador Aparecido dos Santos e Rinaldo de Peder Rosa como “visitadores” à Comunidade Colo de Deus.

A Colo de Deus realiza trabalhos de evangelização no território da Arquidiocese de Maringá desde dezembro de 2014, quando se estabeleceu na cidade de Jandaia do Sul.

“Estamos fazendo um trabalho de acompanhamento de perto e percebemos que há enorme interesse por parte da comunidade em caminhar com a Igreja local”, comenta padre Salvador.

De acordo com o padre Rinaldo de Peder, em outubro próximo os visitadores deverão apresentar um relatório, com as conclusões da visita, ao Conselho Presbiteral da Arquidiocese de Maringá.

“Vamos avaliar os estatutos canônicos da comunidade de vida e de aliança além de todos os aspectos envolvendo a ação pastoral e administrativa da comunidade”, explica. 

De acordo com os atuais documentos da comunidade “a missão da Colo de Deus é tornar o nome de Cristo conhecido; espalhar o avivamento por todo o mundo; viver a verdade do Evangelho de Cristo Jesus; divulgar a devoção à Divina Misericórdia e a Devoção à Santíssima Virgem; unir os jovens em volta da Palavra de Deus e do Catecismo da Igreja Católica”, entre outros.

Já o carisma da Comunidade Colo de Deus é “trazer de volta para o seio da Igreja aqueles que estavam afastados da fé, sendo instrumento de um grande avivamento. Como Maria: gestar uma geração cheia de Pentecostes”.


O que diz Dom Anuar Battisti sobre a Comunidade Colo de Deus

“O que tenho a dizer sobre a Comunidade Colo de Deus é que estamos em processo de conhecimento. Sabemos da relevante expressão que este grupo tem frente ao público jovem e que tem feito um bem para a Igreja, ao evangelizar os excluídos. Eles se enquadram no que o Papa Francisco chama de 'corrente de graça', como uma expressão fortemente carismática desejosa de evangelizar a juventude e as famílias.

Quanto à possibilidade de aceitação como Comunidade Privada de Fiéis de Direito Diocesano, isso deverá ser avaliado de acordo com as regras canônicas e pastoral, para posteriormente, darmos um parecer colegiado. Como pastor, rogo a Deus para que saibamos acolher as novas expressões de evangelização e que as mesmas saibam também compreender a importância de caminhar com a Igreja e a sua ação pastoral orgânica e articulada. Recordando que 'somos membros uns dos outros' (Ef 4, 25), queremos sempre levar o amor de Deus a quem mais precisa; neste caso, especialmente aos jovens.

Trago as palavras do Papa Francisco no final da Exortação Apostólica pós-sinodal ‘Christus vivit’ – ‘Queridos jovens, ficarei feliz vendo-vos correr mais rápido do que os lentos e medrosos. Correi atraídos por aquele Rosto tão amado, que adoramos na sagrada Eucaristia e reconhecemos na carne do irmão que sofre…A Igreja precisa do vosso ímpeto, das vossas intuições, da vossa fé...E quando chegardes aonde nós ainda não chegamos, tende a paciência de esperar por nós’”.


Dom Anuar Battisti

Arcebispo Metropolitano de Maringá