04 de outubro - Celebração de São Francisco de Assis: proposta para uma conversão ecológica

03 de Outubro de 2019

"04 de outubro - Celebração de São Francisco de Assis: proposta para uma conversão ecológica"

Diante das muitas feridas de morte com que a criação tem sido atingida nos últimos séculos, nós, Igreja, somos conclamados a levantar, de forma profética, um grito em defesa da vida convergente ao mandato do Criador à humanidade, o de “cultivar e guardar” (Gn 2,15) nossa Casa Comum.

O Papa Francisco, em sua encíclica Laudato Si’, nos convoca a uma conversão ecológica (216-221), pautada por uma Espiritualidade capaz de reintegrar e restabelecer a aliança entre a humanidade e a criação. Clamor este, destinado à toda a comunidade humana, mas de forma muito especial a nós, comunidade cristã, pois “viver a vocação de guardiões da obra de Deus não é algo opcional nem um aspecto secundário da experiência cristã, mas parte essencial de uma experiência virtuosa” (LS 217). Nesta mesma direção e, no trágico contexto enfrentado pelo imenso e diversificado Bioma Amazônico frente as queimadas e exploração, a CNBB nos impeliu para “Levantarmos uma voz pela Amazônia”, incluindo aqui uma “voz por toda a Criação”.

Como arquétipo nesta defesa pela Criação, o Papa Francisco nos apresenta São Francisco de Assis, “o exemplo por excelência do cuidado pelo que é frágil e por uma ecologia integral, vivida com alegria e autenticidade.” (LS 10).

Frente a esta realidade, a ARAS CÁRITAS Maringá, seguindo a orientação do 24º Plano da Ação Evagelizadora, propõe de forma especial que durante o Dia de São Francisco de Assis, 04 de outubro, possamos favorecer um espaço de celebração e conscientização em prol de uma Espiritualidade e Conversão Ecológica.

Como proposta segue um breve roteiro adaptado para a Celebração Eucarística ou da Palavra que ocorre normalmente nas comunidades naquele dia.


CELEBRAÇÃO PARA O DIA DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS


Se possível, organizar um ambiente favorável à abertura e percepção dos elementos de São Francisco de Assis e o cuidado com a Casa Comum:

  • Imagem de São Francisco de Assis;
  • Flores, água, terra e outros elementos que remetem à criação;
  • Cinzas, carvão, galhos secos, “lixo” - plástico, papel – e outros elementos que rementem à degradação e poluição ambiental;
  • Imagens dos povos da floresta, dos migrantes ambientais (que são expulso de suas terras pelas catástrofes ambientais – secas, inundações, queimadas, furacões, rompimento de barragens, deslizamentos etc.);
  • Tecidos, fitas ou outro material nas cores dos continentes (vermelho, verde, azul, branco e amarelo), lembrando que esta é uma realidade mundial;
  • E outros símbolos e objetos que ajudarão a comunidade a celebrar.


Introdução:

Queridas irmãs e irmãos, hoje celebramos o dia de São Francisco de Assis. O Papa Francisco, em sua Encíclica Laudato Sì apresenta São Francisco de Assis como “o exemplo por excelência do cuidado pelo que é frágil e por uma ecologia integral, vivida com alegria e autencidade.” (LS 10).

São Francisco, nasceu na cidade de Assis, na Itália, no dia 5 de julho de 1182. Seu nome de batismo era Giovanni Francesco di Bernardone. Filho de um rico comerciante, recebeu educação voltada para os negócios. Com 16 anos participou de uma batalha contra a nobreza feudal e foi aprisionado na cidade de Perúgia, onde ficou um ano no cárcere.

No ano de 1205, enquanto o jovem Francisco rezava na Capela de São Damião, ouviu um chamado de Cristo que dizia: “Vá, Francisco e restaure minha casa”. Desde então, Francisco entrega-se ao serviço de Deus e dos mais necessitados. Em 1208 faz votos de pobreza e começa a pregar sua doutrina.

Aos poucos outros homens e mulheres foram abraçando o estilo de vida de Francisco, renunciando aos bens materiais e vivendo como mendigos entre os mais pobres. Em 1223 o Papa Honório III, aprova a regra de vida da Ordem dos Frades Menores.

Em 1225, muito doente, Francisco se recolhe na Igrejinha de São Damião onde em meio à natureza e aos animais, compõe o seu belíssimo e famoso Cântico das Criaturas. Na noite do dia 3 de outubro de 1226 Francisco morre recitando o Salmo 141. Dois anos depois o Papa Gregório IX reconhece a Santidade do jovem Francisco de Assis e o Canoniza.

Canto de Entrada:

Invocação da Santíssima Trindade:

Momento penitencial:

Senhor, pelas vezes que nos omitimos e calamos diante da dor e morte de todas as tuas criaturas, nossos irmãos e irmãs, tende piedade de nós.

Cristo, pelas vezes que desprezamos ou subjugamos qualquer ser vivente nos colocando como seus superiores ou como dominadores da criação divina, tende piedade de nós.

Senhor, pelas vezes que negamos às futuras gerações a dignidade de uma vida plena, por explorarmos e utilizarmos em demasiado os recursos da nossa mãe Terra, tende piedade de nós.


Conclusão: Deus eterno e misericordioso tenha compaixão de nós e todas as criaturas, perdoe os nossos pecados e nos conduza a vida eterna. Amém.


Oração do dia:

Ó Deus, que fizeste São Francisco de Assis assemelhar-se ao Cristo por uma vida de humildade e pobreza, concedei que, trilhando o mesmo caminho, sigamos fielmente o vosso Filho. Por Nosso Senhor Jesus Cristos, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém


Liturgia da Palavra:


Leitura do Livro do Gênesis (Gn 2, 4-10.15)

No tempo em que o Senhor Deus fez a terra e o céu, não exis­tia ainda sobre a terra nenhum arbusto nos campos, e nenhuma erva havia ainda brotado nos campos, porque o Senhor Deus não tinha feito chover sobre a terra, nem havia homem que a cultivasse, mas subia da terra um vapor que regava toda a sua superfície. O Senhor Deus formou, pois, o homem do barro da terra, e inspirou-lhe nas narinas o sopro da vida e o homem se tornou um ser vivente.* Ora, o Senhor Deus tinha plantado um jardim no Éden, do lado do oriente, e colocou nele o homem que havia criado.* O Senhor Deus fez brotar da terra toda a sorte de árvores de aspecto agradável, e de frutos bons para comer; e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore da ciência do bem e do mal. Um rio saía do Éden para regar o jardim, e dividia-se em seguida em quatro braços. O Senhor Deus tomou o homem e o colocou no jardim do Éden, para cultivar o solo e o guardar.

Palavra do Senhor!


Salmo 141

Refrão: Eu vos chamo, Senhor, vós sois meu refúgio.

  • Minha voz lança um grande grito ao Senhor, em alta voz imploro ao Senhor. Ponho diante dele a minha inquietação, eu lhe exponho toda a minha angústia.
  • Na hora em que meu espírito desfalece, vós conheceis o meu caminho. Na estrada em que ando, armaram-me uma armadilha. Olho para a direita e vejo: não há ninguém que cuide de mim. Não existe para mim um refúgio, ninguém que se interesse pela minha vida.
  • Eu vos chamo, Senhor, vós sois meu refúgio, meu quinhão na terra dos vivos. Atendei ao meu clamor, porque estou numa extrema miséria. Livrai-me daqueles que me perseguem, porque são mais fortes do que eu.* Tirai-me desta prisão, para que possa agradecer ao vosso nome. Os justos virão rodear-me, quando me tiverdes feito este favor."


  • Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus (Mt 10, 7-10)

    Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Pelo caminho proclamai que o reinado de Deus está próximo. Curai os enfermos, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, dai-o de graça. Não leveis no cinturão ouro nem prata nem cobre, nem mochila para o caminho, nem duas mudas de roupas, nem sandálias, nem bastão. Pois o operário tem direito ao seu sustento.

    Palavra da Salvação!


    Preces:

    Celebrando hoje a memória de São Francisco de Assis, que abraçou o caminho da pobreza, que acreditou na fraternidade, que amou a natureza e seguiu radicalmente Jesus, apresentemos ao Pai as nossas preces:

  • Que a exemplo de São Francisco de Assis, possamos cultivar uma Espiritualidade Ecológica voltada ao cuidado dos irmãos mais pobres e vulneráveis do nosso planeta. Rezemos ao Senhor.
  • Que diante da dor e da degradação ambiental, possamos levantar uma voz profética em defesa da vida, lutando por políticas públicas que garantam a preservação ambiental para as futuras gerações. Rezemos ao Senhor.

    • Que, pela ação do Espírito Santo e fidelidade ao Evangelho de Jesus Cristo, possamos converter nossas ações diárias em ações de preservação, cuidado e guarda da nossa Casa Comum. Rezemos ao Senhor.


    • Que o Sínodo da Amazônia, que acontecerá entre os dias 06 e 27 de outubro, seja sinal concreto da nossa opção fundamental pelos pobres, em defesa e promoção da vida plena para todas as criaturas. Rezemos ao Senhor.


    Apresentação dos Dons:

    Além da oferta financeira, que possam ser trazidas mudas de árvores ou flores, que depois sejam plantadas em praças ou quintais como gesto concreto de cuidado com a criação.

    Momento de louvor: Oração de São Francisco às Criaturas

    Pode-se cantar ou rezar em um ou dois coros com toda a assembleia.


    Altíssimo, onipotente, bom Senhor,

    Teus são o louvor, a glória, a honra

    E toda a bênção. Só a ti, Altíssimo, são devidos;

    E homem algum é digno

    De te mencionar.


    Louvado sejas, meu Senhor,

    Com todas as tuas criaturas,

    Especialmente o senhor irmão Sol,

    Que clareia o dia

    E com sua luz nos alumia. Ele é belo e radiante

    Com grande esplendor:

    De ti, Altíssimo, é a imagem.


    Louvado sejas, meu Senhor,

    Pela irmã Lua e as Estrelas,

    Que no céu formaste claras

    E preciosas e belas.


    Louvado sejas, meu Senhor,

    Pelo irmão Vento,

    Pelo ar, ou nublado

    Ou sereno, e todo o tempo,

    Pelo qual às tuas criaturas dás sustento.


    Louvado sejas, meu Senhor

    Pela irmã Água,

    Que é mui útil e humilde

    E preciosa e casta.


    Louvado sejas, meu Senhor,

    Pelo irmão Fogo

    Pelo qual iluminas a noite.

    Ele é belo e jovial,

     vigoroso e forte.


    Louvado sejas, meu Senhor,

    Por nossa irmã a mãe Terra,

    Que nos sustenta e governa,

    E produz frutos diversos

    E coloridas flores e ervas.


    Louvado sejas, meu Senhor,

    Pelos que perdoam por teu amor,

    E suportam enfermidades e tribulações.

    Bem-aventurados os que as sustentam em paz,

    Que por ti, Altíssimo, serão coroados.


    Louvai e bendizei a meu Senhor,

    E dai-lhe graças,

    E servi-o com grande humildade.



    Oração do Pai Nosso:

    Distribuição da Eucaristia, onde houver.


    Invocação e saudação da paz:

    Oração de São Francisco

    Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz
    Onde houver ódio, que eu leve o amor
    Onde houver ofensa, que eu leve o perdão
    Onde houver a discórdia, que eu leve a união
    Onde houver dúvida, que eu leve a fé
    Onde houver erro, que eu leve a verdade
    Onde houver desespero que eu leve a esperança
    Onde houver a tristeza, que eu leve alegria
    Onde houver trevas, que eu leve a luz

    Ó mestre, fazei-me que eu procure mais, consolar que ser consolado
    Compreender que ser compreendido
    Amar, que ser amado
    Pois é dando que se recebe
    É perdoando que se é perdoado
    E é morrendo que se vive para a vida eterna

    Após a oração rezada ou cantada, todos se saúdam desejando a paz de Cristo.


    Oração final:

    Ó Deus de amor e bondade, dai-nos imitar o exemplo de São Francisco de Assis, e assim vivermos desapegados dos bens materiais e cuidando com amor dos irmãos e irmãs mais pobres e vulneráveis, além de defender e preservar a vida de toda a vossa criação. Por Cristo nosso Senhor! Amém.


    Bênção final:

    O Senhor nos abençoe e nos guarde.

    O Senhor nos mostre a sua face e se compadeça de nós.

    O Senhor volva para nós seu rosto e nos dê a paz.

    O Senhor nos abençoe, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém


    Canto final: