Cônego Telles escreve poemas para Mães e para Maringá

10 de Maio de 2020

"Cônego Telles escreve poemas para Mães e para Maringá"

Cônego Benedito Vieira Telles, o primeiro padre ordenado na Arquidiocese de Maringá, nos presenteia com dois belos poemas escritos especialmente por ocasião do Dia das Mães e do Aniversário de Maringá:

...

À mãe, uma rosa com amor

Mãe, de manhã colho a rosa,
no jardim do coração.
Minha mãe é mais formosa,
Maria da Conceição!

Mãe, não a posso entregar
Porquanto estás sem labéu.
Para a Mãe de Deus vou dar,
Para entregar-te no céu.

Foi no altar daquela santa,
Que a mamãe lhe pleiteava.
As lágrimas vezes tantas
Outra santa as enxugava.

Muito pouco eu entendia
A conversa da esperança.
Sei que mamãe lhe pedia ...
Era uma feliz criança!

O tempo me fez adulto,
Mas restaram-me lembranças.
As saudades não sepulto,
Como foi bom ser criança!

Mamãe é inesquecível,
Sua presença é gravada
Com um ouro imperecível...
Ó mãe, tão querida, amada!

... ... ...

Maringá aos 73 anos

Cidade do coração,
Tens meio milhão de amores,
Tu és a ‘Cidade Canção’,
Maringá, urbe das flores!

Maringá impressionista,
És grande tela turística!
Seu verde vem da floresta,
Cidade Poesia – artística.

Foste floresta gigante,
És metrópole cidade,
Tu serás a mais pujante,
No chão da felicidade.

Um meio milhão de vozes
parabenizam-te, agora.
Num coral grandiloquente,
A ti, Maringá senhora!

Setenta e três anos – fado
De mil sonhos ao porvir,
Neste solo ensolarado,
Teu futuro a te sorrir.

Cidade universitária,
em ciências, campi de rol
contemplam-te, centenária,
teus filhos, milhões de sóis.

Maringá, bravo comércio,
Os shoppings sofisticados,
É cidade industrial,
Com muitos supermercados.

Parabéns, mil parabéns,
À urbe felicidade,
Conosco, em Maringá, tens
Sonhos de prosperidade!