Em Maringá, Dia mundial das Comunicações é comemorado com Mesa Redonda


Data da Postagem: 30 de Maio de 2017

A Pastoral da Comunicação da Arquidiocese de Maringá organizou no dia 27 de maio, véspera do 51° Dia Mundial das Comunicações Sociais, uma Mesa Redonda para refletir o tema proposto pelo Papa Francisco: “Comunicar esperança e confiança no nosso tempo” – Em parceria com as Paulinas Livrarias o evento foi realizado no período da manhã.

A proposta da Pascom arquidiocesana é criar espaços de discussões sobre o tema comunicação, conforme está previsto no 24° Plano da Ação Evangelizadora, recentemente lançando. Na oportunidade participaram agentes de várias pastorais e movimentos como: catequese, liturgia e canto, vicentinos, focolares, pastoral da saúde e do dízimo entre outros – Todos conscientes de que sua comunicação nas mais diversas áreas pode fazer a diferença nos resultados dos trabalhos, especialmente na evangelização, tendo em vista a comunicação da Boa Notícia como transformação de vidas.

A parte inicial das discussões foi realizada com um momento de espiritualidade, partilha da Palavra e a música Comunicarte (padre Zezinho), que expressa: “Quero ser um comunicador”. Após se iniciaram as reflexões e discussões sobre a carta do Papa.

A mediação foi conduzida pela jornalista e coordenadora da Pascom arquidiocesana Fabiana Ferreira e pelo padre Luiz Carlos de Azevedo que também é jornalista de diretor da Revista Maringá Missão (Arquidiocese de Maringá) – Ambos trouxeram para discussão a ideia de que a “notícia boa” também “vende”, e a partir dela é possível despertar a esperança e a confiança na sociedade.

A carta do Papa Francisco aos comunicadores para o 51° Dia Mundial das Comunicações vem nos exortar sobre a necessidade de rever os processos pelos quais acontecem a nossa comunicação, não obstante, nos relembra que precisamos de uma visão mais ampla e apurada do que recebemos diariamente como notícia; o que replicamos e como isso pode afetar a sociedade. “A todos quero exortar a uma comunicação construtiva, que, rejeitando os preconceitos contra o outro, promova uma cultura do encontro por meio da qual se possa aprender a olhar, com convicta confiança, a realidade. Creio que há necessidade de romper o círculo vicioso da angústia e deter a espiral do medo, resultante do hábito de se fixar a atenção nas «notícias más» (guerras, terrorismo, escândalos e todo o tipo de falimento nas vicissitudes humanas)” – [51° DMC].

Na conclusão da Mesa Redonda, agentes expressaram a alegria de participar de um momento de grande conhecimento para todos. De modo geral todos avaliaram o encontro como uma oportunidade de troca de informações e experiência que acrescenta na caminhada pastoral e evangelizadora.


Fabiana Ferreira – Pascom Arquidiocese


Image title