Morre Dom Rubens Espínola, 2º Bispo da Diocese de Paranavaí, Província de Maringá


Data da Postagem: 28 de Dezembro de 2017

Na manhã desta quinta-feira (28) faleceu em Paranavaí Dom Rubens Augusto de Sousa Espínola, 2º Bispo da Diocese de Paranavaí. Ultimamente, Dom Rubens encontrava-se doente, sobretudo, bastante debilitado devido a idade.

Dom Rubens nasceu a 08 de junho de 1928, em São Paulo. Fez seus estudos filosóficos e teológicos no Seminário Central da Imaculada Conceição do Ipiranga (SP) e foi ordenado presbítero dia 08 de dezembro de 1953. Em 20 de dezembro de 1980, o Papa São João Paulo II o elegeu bispo auxiliar da então Prelazia de São Luis de Montes Belos. A 12 de outubro de 1985, o Papa São João Paulo II o transferiu para a Diocese de Paranavaí, tomando posse canônica em 08 de dezembro do mesmo ano, permanecendo como Bispo Diocesano até 2003, quando ficou emérito ao completar 75 anos de idade.

Em seu livro sobre a História da Igreja do Paraná, Dom Pedro Fedalto assim escreveu sobre Dom Rubens: “Foi um Bispo Diocesano muito decidido e corajoso. Destacou-se principalmente em duas obras necessárias na Diocese: a construção da Catedral Mãe da Igreja e do Seminário Diocesano, o qual formou 30 sacerdotes diocesanos em dezoito anos. Dom Rubens criou quatorze paróquias, deixando-as todas providas, quando renunciou pela idade”.

A Igreja do Paraná e a Presidência do Regional Sul 2 agradecem a Deus por tão grande dom que foi a presença de Dom Rubens nas terras paranaenses, particularmente em Paranavaí e região e pede a Deus o descanso eterno deste grande missionário e promotor vocacional.


Dom Anuar preside missa

O sepultamento do corpo de Dom Rubens será na Cripta da Catedral de Paranavaí, nessa sexta-feira (29) após santa missa presidida pelo Arcebispo de Maringá, Dom Anuar Battisti, às 16h. A Diocese de Paranavaí faz parte da Província Eclesiástica de Maringá-PR. 



Nota de Condolências da CNBB

pelo falecimento de dom Rubens Augusto de Souza Espínola

 

 

Brasília, 28 de dezembro de 2017


A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) recebe com pesar a notícia do falecimento de dom Rubens Augusto de Souza Espínola, bispo emérito de Paranavaí (PR), ocorrido na madrugada desta quinta-feira, 28 de dezembro. Renovamos a nossa solidariedade fraterna e pedimos que o senhor estenda aos familiares e às comunidades da diocese o nosso abraço fraterno.

Recorremos às palavras do Santo Padre, Papa Francisco, para manifestarmos nossa proximidade com o senhor e com a Diocese de Paranavaí. Na homilia da missa do último Dia de Finados, ele disse: “(a) esperança, reavivada em nós pela Palavra de Deus, ajuda-nos a adotar uma atitude de confiança frente à morte: realmente Jesus demonstrou-nos que a morte não é a última palavra, mas o amor misericordioso do Pai transfigura-nos e faz-nos viver a comunhão eterna com Ele. Uma caraterística fundamental do cristão é o sentido duma ansiosa expectativa do encontro final com Deus. Ainda há pouco o reiteramos no Salmo Responsorial: ‘A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo! Quando poderei contemplar a face de Deus?’ (42, 3). São palavras poéticas que, de forma comovente, interpretam a nossa expetativa vigilante e sedenta do amor, da beleza, da felicidade e da sabedoria de Deus”.

Na despedida desse nosso Irmão, dom Rubens, é bom recordarmos seu lema episcopal: sicvt qvi ministrat(Como aquele que serve). Lema que representa a atitude de disponibilidade com a qual ele assumiu sua missão nos 89 anos de vida, 64 de sacerdócio e 36 de episcopado.

Enviamos o nosso abraço a todos e as nossas orações.

Em Cristo,

 

 

 

Dom Leonardo Ulrich Steiner

Bispo auxiliar de Brasília

Secretário-Geral da CNBB