A alegria de ser santo


Data da Postagem: 16 de Abril de 2018

Na semana que passou o Papa Francisco nos presenteou com uma bela carta, Exortação Apostólica, em que nos convida a sermos santos alegres.  GAUDETE ET EXSULTATE  https://bit.ly/2Hns382

Uma das expressões originais na carta é “os santos ao pé da porta”. “Gosto de ver a santidade no povo paciente de Deus: nos pais que criam seus filhos com tanto amor, nos homens e mulheres que trabalham a fim de trazer o pão para casa, nos doentes, nas idosos e idosas que continuam sorrir. Nesta caminhada do dia a dia que vejo a santidade o povo de Deus perseverante. Essa é a santidade: ao pé da porta”. Vamos nos deixar ser iluminados pelos exemplos de santidade que no silêncio da vida são exemplos vivos, sobretudo pela vida de fé e de caridade. São milhares de santos anônimos em nosso meio, verdadeiros testemunhos do amor, que transforma a vida e faz crescer a presença de Deus.

“Para ser santo, não é necessário ser bispo, sacerdote, religiosa ou religioso. Muitas vezes somos tentados a pensar que a santidade esteja reservada apenas áqueles que têm possibilidade de se afastar das ocupações comuns, para dedicar muito tempo para oração. Não é assim. Todos somos chamados a ser santos, vivendo com amor e oferecendo o próprio testemunho nas ocupações de cada dia, onde cada um se encontra. És uma consagrada ou um consagrado? Sê santo, vivendo com alegria a tua doação. Estás casado? Sê santo, amando e cuidando do teu marido, da tua esposa, dos filhos como Cristo fez com a Igreja. És um trabalhador? Sê santo, cumprindo com honestidade e competência o teu trabalho ao serviço dos irmãos. És progenitor, avó ou avô? Sê santo, ensinando com paciência as crianças a seguirem Jesus. Estás investido em autoridade? Sê santo, lutando pelo bem comum e renunciando aos teus interesses pessoais”.

Essa carta que vem na hora certa, deve ser lida na íntegra. Aqui hoje partilho com vocês outras expressões que me chamaram atenção. O Papa Francisco com seus estilo simples e direto deixa claro que o caminha da santidade é para todos nós. “Ser santo não implica um espírito retraído, tristonho, amargo, melancólico ou um perfil sumido, sem energia. O santo é capaz de viver com alegria e sentido de humor. Sem perder o realismo, ilumina os outros com um espírito positivo e rico de esperança. Ser cristão é ‘alegria no Espírito Santo’, porque, do amor de caridade, segue-se necessariamente a alegria”.

O Papa recomenda essa oração atribuída a São Tomás Moro: “Dai-me, Senhor, uma boa digestão e alguma coisa para digerir. Dai-me a saúde do corpo, com o bom humor necessário para conservar. Dai-me, Senhor, uma alma santa que saiba aproveitar o que é bom e puro, e não se assuste a vista do pecado, mas encontre a forma de colocar as coisas de novo em ordem. Dai-me uma alma que não conheça o tédio, as murmurações, os suspiros e os lamentos, e não permitais que sofra excessivamente por essa realidade tão dominadora que se chama ‘eu’. Dai-me Senhor, o sentido de humor. Dai-me a graça de entender os gracejos, para que conheça na vida um pouco de alegria e possa comunicá-la aos outros. Assim seja”.

Aproveite o Domingo, Dia do Senhor, com a sua família!


Dom Anuar Battisti