Boas vindas aos irmãos judeus


Data da Postagem: 25 de Fevereiro de 2019

Estamos em festa solene na história do Diálogo Inter-religioso na Arquidiocese de Maringá. De extrema relevância para os dias atuais, o que aconteceu na última sexta-feira, 22 de fevereiro, merece ser lembrado. Pela primeira vez desde a sua criação, o Grupo de Diálogo Inter-religioso teve a  participação da comunidade judaica.

Imaginem, árabes, mulçumanos, judeus, cristãos, budistas,  espíritas, líderes do candomblé, umbanda, religião de Deus, fé bahá´i e  religião indígena, todos juntos, a cada dois meses, para ouvir, partilhar, sem julgamentos. A ação prática da tolerância, do não julgar, do respeito às diferenças, como isso é marcante.

Minha origem pastoral é do Movimento dos Focolares  e como nos ensinou Chiara Lubich, devemos sempre procurar a comunhão, uma espiritualidade coletiva e jamais separatista e individualista.

Este exemplo do Diálogo Inter-religioso serve também para todas as demais áreas da nossa vida. Vejamos, quantos casos assustadores de violência contra a mulher têm sido noticiados nos últimos tempos. Isso não seria resultado de um pensamento egoísta de alguns homens, que se sentem donos da verdade, da razão, se julgam superiores às mulheres? Ninguém é melhor do que ninguém. Somos todos um corpo. Quando um membro sobre, todos sofremos.

Na dimensão religiosa, na dimensão familiar, na dimensão do trabalho, tudo influencia o coletivo e somos influenciados pelo individual. Ou seja, a sua atitude influencia a minha vida. Na natureza isso também é regra, é lei da vida.

Por isso, celebramos e damos boas vindas aos judeus ao nosso grupo. Boas vindas a todos que desejam a paz. Nosso Deus é o Deus do amor, da paz, do perdão e da reconciliação. Há pessoas que não promovem a paz. São pessoas tristes, sempre querendo confusão e percalços. Vamos praticar a paz nesta breve vida que temos. “Pai, que todos sejam uma coisa só” (Jo 17,21).

Uma abençoada semana, de muita paz.


Dom Anuar Battisti