O escândalo da divisão entre cristãos


Data da Postagem: 25 de Fevereiro de 2016

Esta semana o papa Francisco recebeu uma delegação da Igreja Evangélica Luterana da Suécia. Disse ele: “convido a todos a começar, reconhecendo os sinais dos tempos, o caminho da unidade para superar a divisão entre os cristãos, que não só se opõe à vontade de Cristo, mas que é também um escândalo para o mundo e prejudica a causa mais santa: a pregação do Evangelho a toda criatura”.

Irmãos e irmãs na fé e não adversários ou concorrência, disse o Santo Padre. “Católicos e luteranos são chamados a buscar e promover a unidade nas dioceses, nas paróquias, nas comunidades de todo o mundo”. O caminho é a unidade, não a uniformidade.

Hoje celebramos Pentecostes, quando o Espírito Santo desce sobre os discípulos reunidos no Cenáculo. “Ficaram todos cheios do Espírito Santo” (At 2, 4). Este fato bíblico não é um fato do passado, mas uma ação atual que renova ainda hoje o caminho do povo de Deus.

O papa, falando de Pentecostes disse: “Espírito Santo nos ensina: é o Mestre interior, nos guia pelo caminho certo, através das situações da vida. Ele nos ensina a estrada, o caminho. Nos primeiros tempos da Igreja, o cristianismo era chamado ‘o caminho’ (cfr At 9, 2) e o próprio Jesus é o Caminho. O Espírito Santo nos ensina a segui-lo, a caminhar seguindo seus passos”.

Francisco ainda cita que “o Espírito de verdade e de caridade nos recorda tudo aquilo que Jesus disse. É o Espírito Santo que nos faz fazer este caminho: o caminho da memória histórica viva da Igreja. Em essência, o Espírito nos recorda o mandamento do amor e nos chama a vivê-lo. Um cristão que não revive os fatos históricos da fé, não é um verdadeiro cristão: é um cristão pelo meio do caminho, é um homem ou uma mulher prisioneiro do momento, que não sabe fazer tesouro da sua história, não sabe lê-la e vivê-la como história de salvação. Que o Espírito Santo reavive em todos nós os fatos históricos da fé cristã! E naquele dia, com os Apóstolos, havia uma Mulher da memória, aquela que desde o início meditava sobre todas aquelas coisas no seu coração. Havia Maria, nossa Mãe. Que Ela nos ajude neste caminho da memória”.

Hoje estamos concluindo a semana de oração pela unidade dos cristãos. Várias celebrações formam feitas em várias igrejas cristãs, obedecendo o testamento de Jesus: “Que todos sejam um para que o mundo creia”( Jo 17). “E o Espírito nos faz falar com os homens no diálogo fraterno. Ajuda-nos a falar com os outros reconhecendo neles os irmãos e as irmãs; a falar com amizade, com ternura, com brandura, compreendendo as angústias e as esperanças, as tristezas e as alegrias dos outros. Temos um longo caminho a percorrer na concretização da unidade. Por isso vale sempre o principio do ecumenismo: ‘Buscar o que nos une e não o que nos divide’”.

Como Jesus soprou sobre os apóstolos o Espírito Santo, também hoje Jesus sopra sobre a Juventude a força, a coragem, o entusiasmo a luz para que todos fiquem cheios do Espírito Santo. O Papa Francisco conclui a sua mensagem de pentecostes dizendo: “É a Mãe Igreja, que parte para servir. Recordemos a outra Mãe, a nossa Mãe que partiu com prontidão, para servir. A Mãe Igreja e a Mãe Maria: todas as duas virgens, todas as duas mães, todas as duas mulheres”. Também hoje pedimos: Vem Espírito Santo sobre todos nós!

 

Dom Anuar Battisti

Arcebispo de Maringá