Saúde mental e emocional


Data da Postagem: 10 de Julho de 2016

É inegável o valor das novas tecnologias midiáticas, que servem para agilizar a comunicação entre as pessoas, colocando-as ao par de tudo o que acontece. Fatos ocorridos agora, num lugar distante daqui, já são conhecidos por nós. Chegam, de imediato, em nossas mãos, olhos e ouvidos. E são tantas as informações que não sabemos o que fazer com isso.

Se de um lado ficamos “atualizados” com tudo, de outro, vemos crescer uma profunda ansiedade, profundo vazio existencial, que levam muita gente a vários tipos de compulsões e de compensações doentias, afetando principalmente a mente e as emoções. Cai-se no vazio existencial. O vazio existencial, no fundo, é uma carência. É um ícone da mística do nada. Um niilismo, como afirmam alguns filósofos da existência...

A pessoa humana tem acesso a tudo, mas falta-lhe o essencial. Perde todos os paradigmas, pois aquilo que o modelo lhe oferece é muito líquido, de uma mobilidade relampejante nunca vista. Aqueles instrumentos, que foram pensados para socializar e criar vínculos sadios e comunitários, detonando a praga do egocentrismo, são transformados em instrumentos de fechamento maior das pessoas sobre si mesmas. Que pena!

Com o objetivo de buscar saúde total, em meio a esta parafernália de novas doenças existenciais e conflitantes, nascem grupos de apoio para pessoas que querem libertar-se dessas novas adicções. Pessoas se encontram, para admitir que são impotentes diante da contradição de tudo ter e de nada solidificar.

Mas, na impotência, conseguem vislumbrar novas possibilidades de se construírem e de se enfrentarem, frente a uma doença psico-afetiva-social, que é complexa, progressiva e fatal. Assim nascem os Neuróticos Anônimos, que fazem parte das tantas “Irmandades Anônimas”.

Os Neuróticos Anônimos não usam a expressão neurótico no sentido restrito das ciências ligadas ao psiquismo humano. Entendem que neurótica é qualquer pessoa cujas emoções interferem em seu comportamento, de qualquer forma e em qualquer grau.

Assim, pessoas que sofrem de depressão, ansiedade, nervosismo, irritação, solidão, medo, insegurança e outras emoções torturantes são portadoras de doenças mentais e emocionais. Trabalham encima do “Programa de Recuperação de Neuróticos Anônimos”, que tem resgatado muitas pessoas.

O Programa consiste nos tradicionais “Doze Passos”, sugeridos para a recuperação individual e as “Doze Tradições”, para a orientação das pessoas, dos grupos como um todo. Uma das vantagens oferecidas pelos grupos de Neuróticos Anônimos, além desse Programa, é possibilitar às pessoas estarem em contato com outras que tem problemas semelhantes e que buscam a recuperação da saúde mental e emocional e que não se envergonham da doença e que buscam administrá-la de uma maneira consciente.

Em nossa cidade de Maringá funciona um grupo de Neuróticos Anônimos. Está na igreja Divino Espírito Santo, Praça Mons. Bernardo Cnudde, 7, Zona 07, todas as sextas feiras, a partir das 19h30. Boa semana, com saúde mental. Que Deus nos abençoe!



Dom Anuar Battisti

Arcebispo de Maringá-PR