A vida do nascituro e Outubro Rosa


Data da Postagem: 10 de Outubro de 2016

Começamos este mês com a Semana do Nascituro. Defendemos a vida desde o momento de sua concepção até a morte natural. Por isso somos seres humanos no ventre materno, desde a fecundação. É uma falsidade afirmar que se deve esperar semanas para ser uma vida humana. Isso é mentira. Desde a concepção já existe um ser com direitos, com direito de nascer, e nascer com dignidade.

Dom Orani, cardeal arcebispo do Rio de Janeiro, em seu artigo sobre esse tema afirma: “A julgar pelas campanhas nacionais e internacionais, parece que o ser humano respeita mais os ovos de tartaruga e as árvores do que o seu filho no ventre da mãe. O aborto é uma realidade triste de nossos tempos que, devido à propaganda, o número tende a aumentar”.

Diante desta triste realidade e Conferência Nacional do Bispos do Brasil (CNBB), em 2015, estabeleceu dia 08 de outubro, vésperas do dia das crianças, como dia do “nascituro”,  termo latino para designar, “aquele que está por nascer”. Portanto queremos que a vida nasça e se faça gente com dignidade. “O Dia do Nascituro nos desperta para a consciência de que há direitos do ser humano de conservar a sua vida em estágio intrauterino.  A Igreja Católica formula sua doutrina sobre o aborto do seguinte modo: todo ser humano, inclusive a criança ainda no seio materno, possui o direito à vida imediatamente de Deus, não dos pais nem de qualquer outra autoridade humana. Portanto, não existe homem algum, autoridade alguma humana, nenhum tipo de ‘indicação’ (médica, eugenésica, social, moral) que possa exibir um título válido para uma direta disposição deliberada sobre uma vida humana inocente” (Dom Orani Tempesta).

Queremos a vida e a vida em plenitude para todos os seres humanos, desde o ventre materno até a morte natural.

Agora escrevo sobre outro tema que envolve também as mulheres. Outubro Rosa, que tem como objetivo principal despertar para a consciência sobre o câncer de mama. Nós, como Igreja, precisamos falar sobre isso também. O diagnóstico precoce, é essencial para reduzir a mortalidade. No entanto, os exames nem sempre estão ao alcance da população. Conclamo às nossas comunidades, pastorais, movimentos, a falarem sobre isso nas bases. Infelizmente, por preconceito, falta de informação, e também pela ausência dos serviços de saúde para determinadas comunidades, muitas mulheres perdem a vida por causa do câncer de mama. Apoiamos e defendemos a vida de tantas mulheres e mães e neste Outubro Rosa, especialmente, rezamos por vocês mulheres. Que Maria interceda junto a Seu Filho, para que todos tenhamos vida, e vida em abundância. Uma abençoada semana!


Dom Anuar Battisti é Arcebispo de Maringá-PR